quarta-feira, 1 de junho de 2016

O Despertar da Força!

Pessoal, como estão as coisas? Tudo no lugar?

Hoje: 01/06/2016 23:38, quase dia 2

Me toquei que há mais de 4 anos não escrevo aqui.
Justifico: Perdi essa minha parte e essa minha arte.

Perdi, continuo perdendo a cada dia.

Ás vezes leio esse meu diário abandonado e fico me perguntando como eu conseguia escrever, me expressar de tal maneira...para onde foi essa parte?

Diversas as vezes que abri esse meu amigo, me preparava para digitar algo e "Ah, nao dá"

Hoje dá!

E por que perdi?

Difícil e fácil justicar, me lembro que a última postagem feita foi quando fiquei desempregada pela primeira vez. Recordo-me que não foi fácil, nunca é, me permito a escrever que a preocupação, estresse, e o modus operandi do mundo corporativo roubou a minha arte.

Talvez porque eu ainda pensava estar inserida no meu mundo ideal e tê-lo perdido...as idéias e conceitos mudam sempre...e que bom que mudam!

Um conselho, conceito, consenso (somente meu claro rs) que deixo para todos é para que jamais deixem a arte morrer.
Um dia ela volta, um dia há de voltar...

Atualmente estou em um novo cenário (perceberão que a minha linguagem mudou um pouco, bastantes pinceladas de mundo corporativo e jurídico serão notadas), a inspiração voltou, e prometo agora voltar mais aqui no meu amigo.

Mas,
Promessa aqui, não é dívida!

See you!



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Insônia é isso!

Meu tão querido e abandonado blog, estou de volta :)

Acho que aqui é o meu cantinho, me sinto confortável estando aqui e escrevendo o que me vem instantaneamente ao teclado. Há certos tentativas que não me dão aquele conforto, então eu vou embora.

Hoje está fácil :) fácil escrever!

Confesso que a inspiração de outrora era bem mais interessante, e o título do blog tá quase perdendo o sentido, tá faltando "porquês" aqui.

Prometo conseguir um fodástico logo! aceito algumas sugestões...

Hoje eu vim apenas suavizar, amaciar meu teclado novo :D

Começaremos pelo meu dia surpreendentemente atoa, e os meus pensamentos que surgiram ao longo dele.
Estou de férias, ou melhor dizendo, semi-desempregada. Ainda prefiro pensar que estou de férias...

Coloco meu despertador ás 8:12 só para me lembrar que já é dia, já amanheceu, porque eu nunca me levanto. Meu primeiro pensamento do dia "Ok, já sei que está de dia"

Então daqui umas horas me levanto, confirmo se já é dia mesmo e abro a porta da sacada do quarto...É DIA!
Infelizmente, isso é verdade. Droga de férias.

Segundo pensamento inútil do dia: fome!
por mim deletaria esse pensamento/idéia da minha pessoa, porém, estou em fase de crescimento.

(esse post tá ficando uma droga)

Agora acho que vai iniciar a parte legal do meu dia...
Abro o facebook!

Eu gosto do facebook, aquilo é um compêndio de coisa legal e interessante que eu nao consigo me desvincular...
Ok, a vida é mais legal...

Enfim, saio para dar uma volta pela cidade, vejo pessoas estranhas (elas existem), tais pessoas quase me levam a alguma inspiração para escrever algum porquê aqui...mas sem sucesso!

Volto pra casa, fome de novo, banho de novo, facebook de novo...

Para dar uma variada na rotina assisto algum filme, muitos são geniais! Mas fico sem o gás pra escrever sobre...

Aí vou dormir...meu despertador desperta...

Já li o meu post "O Porquê do Tédio" e não ta ajudando.

Droga de férias, droga de férias, droga de férias, droga de férias.

Pronto, acho que já amaciei meu teclado.

Será que já consigo dormir? lembrando que faltam quase 3 horas para meu despertador me lembrar que já é dia!



domingo, 6 de maio de 2012

Exagerada...

"Amoorr da minha vida...daqui até a eternidade..."

Olá meus queridos,
sabe que esses dias pensei ser até ser estranho ter um blog...
é como se me tornasse frente a um monólogo com bastante acessos! Ok que eu nunca quase não leio emails com respostas...somente comentários creio serem construtivos :)

Sempre que venho escrever aqui me predisponho a um propósito de idéia a ser seguido e que possa servir a alguém que for ler ou até a mim mesma para refletir.
Na maioria das vezes apenas é cabível a mim, acreditem...

The writing life is more interesting... the worst thing is that I feel a fool saying it....whatever, if you think the same thing, please, stop reading it right now...

Idéias são """"coisas"""" (se pudesse colocaria milhares de aspas) que vêm sem a gente pedir né?
Maldita intrometida...

No entanto hoje, imagino que minha idéia não será construtiva a ninguém, pois irei discorrer a mim mesma...

Não acredito que a números sejam predominantes a vida de alguém, até mesmo para definir qual idade você tem, quantas notas altas você já obteve ou até mesmo quantos caras você já pegou...

Números são mágicos, ao menos para mim...

Hoje resolvi escrever sobre eles, mas para mim :)
se alguém se identificar, fico feliz...

Já me disseram que o pensamento numérico muitas vezes é tido como frio, calculista e sem fundamento sentimental...
Creio que alguém que me conheça realmente bem saberá dizer que o que estou discorrendo é apenas fruto de uma fase que estou passando, ou coisa similar...

Mas já que o blog é meu...kkkkk

Revelo que os números para mim se tornaram essenciais, tanto no que diz respeito a datas, resultados e até mesmo a forma como me apresento...
Há quem não goste deles...

Sabe o que é botar o play em uma música de Eddie Vedder e pensar "essa vou escutar porque tem mais de 3 minutos"
A mim o que sinto no momento é a expectativa por números grandes, com exceção do número do meu sapato, que insiste em nao passar do 35....(ainda bem...)

Não virei falar sobre o porquê dos números, isso porque engenheiros e matemáticos nao lêem blogs!

Sempre que saio, escuto uma música de mil novecentos e bolinha que me lembra certos momentos quando eu tinha x anos....está se tornando crítica a fase de lembrar exatamente os números das datas e idades...Raimundos e Tihuana que o digam...


A analogia positiva que posso discorrer com toda certeza é que números maiores e positivos me satisfazem :D
não imagino isso como uma coisa ruim...

Apenas me acho Exagerada...jogada aos seus pés....números queridos :)



See you dears!

Nubia Miranda Vieira

domingo, 25 de março de 2012

Behind the scenes!


Hi Everybody!

Decidi escrever somente quando me vêm total disposição...
Confesso que sempre surgem idéias boas, de peso, mas a falta de tempo e a fadiga me vêm com um balde de água fria!
Seria legal se o pensamento tivesse um dispositivo automático, digital....os bons pensamentos melhor dizendo! O ruim é que nos tornaríamos uma espécie de The Sims com um balãozinho digital sobre nossas cabeças...sem falar que o que teria de coisa compartilhada e plagiada por aí nao seria brincadeira!
Escrever é legal, expressar-se dessa forma, melhor ainda! Porém vai se perdendo a habilidade caso não haja prática!

Hoje vim falar sobre a influência dos bastidores e o que há por trás das cenas!

A vida de todo mundo é uma peça a qual você mesmo direciona, o mais importante é que depende quem é a sua platéia....

Atualmente venho conhecendo pessoas que diante da platéia desempenham papéis ótimos e possuem uma desenvoltura incrível, creio que para uma total aceitação ou para ter como sobreviver...
mas o que importa hoje não é o show, a arte, e sim o que há por trás dela!

Sei que é bem impossível ser o que somos sempre e se mostrar íntegro a todas as situações, e não cabe a ninguém julgar se é certo ou não.
No entanto, o peso das conquistas nos impulsiona crescentemente a esquecer o que há por trás das cenas...principalmente o que há de ruim por trás das cortinas.
Por trás das cenas é tudo muito dinâmico, e o que não percebemos é que os preparativos são tão importantes quanto o show!

Exemplos importantes me vem á cabeça, mas seria bem sutil citá-los e certamente alguém se sentiria comprometido...

Apenas o que acho válido refletir é se é totalmente aceitável deixar de lado o seu eu para se tornar um personagem, destacando que tal personagem agrada muito mais a platéia do que o próprio artista.

Como diria Jobim, "Longa é a arte, tão breve a vida"

É necessário destacar que o que fica realmente é a arte,
e já que é assim, que sejamos bons personagens e tenhamos uma platéia justa!
Uma boa Platéia não se escolhe...se atrai :)

Uma excelente arte a todos!

Núbia Miranda Vieira





quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Um dia (quase) normal...

Hoje seria um dia normal, como qualquer um, exceto pelo fato de que acordei um tanto pensativa...

Já havia despertado há um tempo, e a ligação de minha mãe me impulsionou (na marra) a levantar e dar um jeito na vida...

Ainda assim, um dia normal...

As milhares de coisas para resolver, as amadas burocracias da vida como chegar sua vez no caixa do banco, e o senhor bancário lhe dizer que ainda falta "um papelzinho" impedindo o andar da carruagem...

Para qualquer brasileiro, ainda assim, um dia normal...

A mudança para a cidade grande me bloqueou um pouco o contato com as pessoas, me deixando mais próxima ás máquinas, reagentes químicos e responsabilidades.
Essa privação dos conflitos humanos alheios apenas me aproximou dos meus próprios, antes um pouco "esquecidos", confesso.

Já ouvi dizer que enxergar os problemas alheios e não os próprios é errado, em demasia, creio que sim.....todavia, a mim soa como construtivo.

Quando começo a dar ouvidos aos meus enigmas internos fico incrivelmente perdida, prefiro deixar que o tempo ou a rotina me mostre respostas para solucioná-los.

Ultimamente, mais do que nunca, parecia que eu estava "gostando" de me ouvir...haha
Não que isso seja ruim (ou bom), mas estava lidando melhor com tais companhias.
Ás vezes esperar o tempo agir é uma virtude para poucos...

No entanto, hoje eu estava afim de problemas alheios...haha
Alguma inspiração, alguma dúvida, algum sei lá...

Ao entrar em outra agência bancária me deparei com algo realmente extraordinário!!!
Montaram uma queda d'agua no meio do banco, algo como aquelas cascatas renováveis, e me deu uma sensação tão legal com aquele barulho de cachoeira em meio á selva de ternos que fica até difícil ilustrar.

Agora sim, um dia não tão normal...

Há um dia atrás, depois de uma boa notícia que recebi, me falaram que a profissão a qual escolhi foi feita para fazer bem à humanidade...sei disso...teoricamente sei...mas ainda nao tinha visto na prática onde isso se aplicaria a mim e à profissão.
Acho que uma coisa que tenho perdido ultimamente é a visão global...e como explicado anteriormente, isso acontece quando começo a escutar demais os meus proprios conflitos.
Ás vezes bate aquela "visão global fake" só pra se sair bem em alguma discussão, mas profundamente, você está é míope...

Hoje dei uma brecha e tentei enxergar além, fora da caixinha...

E consegui, depois de muito tempo.
Postagem diário não é minha atividade preferida....mas HOJE foi necessário.

E hoje o dia foi (com o perdão da palavra) FODA!


O pensamento é como uma queda d'agua, nasce de um curso mínimo, sofre diversos processos físicos e depois se espalha em um curso maior...

NUBIA MIRANDA VIEIRA





domingo, 30 de outubro de 2011

E se o mundo parasse agora para te ouvir?






Olá Pessoal!

Depois de um bom tempo sem aparecer aqui, agora com um novo recorde de mais de 1 mês, o qual não prometo não aumentar!

Passei diversas vezes por aqui, digitei umas idéias desconexas e depois ao chegar ao fim, percebia que não tava nada coerente e não publicava...

Estava precisando de uma graaaande e gigantesca idéia pra trabalhar em cima.

Até que em um fim de noite uma pergunta totalmente randômica me é apresentada via facebook...


"... e se o mundo parasse agora pra te ouvir... o que exatamente vc diria de importante, aproveitaria a chance pra falar com quem realmente ama, ou voce não seria tão egoista assim?"
Com todos os direitos autorais ao Matheus, grande amigo!


Realmente, não sei responder a essa pergunta...mas tenho algumas opções do que aconteceria.

Suponhamos que você está lá e de repente surge um "Vamos lá caro amigo! o Mundo está te escutando!"

No mínimo você ficaria sem fala por uns segundos, processando o que seria dito posteriormente. Se você realmente acha que não vai passar por essa fase, você precisa se treinar um pouco para não falar besteira ao conversar com qualquer pessoa.

Em outra fase da minha vida, diferente da que estou no momento, acho que não seria muito egoísta e diria uma mensagem bem legal, que servisse de conselho, ou não, a todos e que pudessem mudar um pouco suas vidas. Isto é se eles forem seguir o que estou falando.

Antes me considerava uma pessoa mais sentimental e bem enternecida, movida pelos sentimentos e pelo coração.

Isso é legal, até certo ponto.

Como diz uma certa citação: O miserável receio de ser sentimental é o mais vil de todos os receios modernos.

Esse receio moderno, um pouco que me assombra certos dias...
Então, creio que se o mundo me escutasse em algum dia desses, eu seria egoista! sim!

Porque as vezes tenho como idéia de que o mundo não quer e não precisa ouvir ninguém. Isso porque nada do que fosse dito, mudaria o que já está plantado.


Mas enfim,

acho que a parte que eu não seria egoísta é mais a mais importante aqui né.

Acho que minha mensagem se resumiria a reforçar a idéia que só iremos melhorar como pessoas se acreditarmos um pouco mais em cada um de nós.

Todos temos uma capacidade, todas muito diferentes entre si, e que cada experiência que passamos é somente para reforçar essa nossa capacidade, e nos reafirmarmos diante dela.

Se você acha que tem a capacidade de promover a paz mundial, que se esforce para tal. E consiga ao menos espalhar a paz no seu bairro.

E para chegarmos ao ápice desta capacidade, temos que ir agregando conhecimentos e experiências cada vez mais.

Conhecimento nunca é demais. Até mesmo aqueles fora de sua área e interesse. Um dia você irá precisar dele.

O que complementa tudo isso para harmonização total é enxergar que a pessoa que está ao seu lado também está neste mundo com este objetivo, e por isso precisa de respeito!

Sei que é bastante utópico, mas é o certo.

Infelizmente, a maioria não segue isto...e cabe a você se encaixar ou não.

Os que não se encaixam, se tornam inviáveis à sociedade. Isso é factual.
E por incrível que pareça, andar nesta corda bamba inclui o pacote de ser um pouco egoísta e ambicioso às vezes.


e você?

o que diria se o mundo parasse para te ouvir?

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O porquê da insanidade...

Olá Pessoal,

hoje não vim justificar a loucura, haha

Isso porque alguns considerados saudáveis psicologicamente são bem mais insanos que os diagnosticamente confirmados. E assim a dissertação ficaria bem confusa e os loucos se confundiriam.

Mas é que assisti um filme (Girl, Interrupted), o qual a temática é a "loucura". Não vou fazer uma abordagem sobre ele, porque essa postagem não é acerca dele.

Fiquei pensando e tentando conceituar o que seria a loucura, ou outras patologias relacionadas a ela.
Lembro sempre das falas de minha mãe me dizendo: "Cuidado, segura na minha mão! aquele moço é doido e pega criancinhas", e apontando um andarilho qualquer.
Apesar da pouca idade eu ficava observando e fazia analogia de pessoas sujas a pessoas loucas.
Hoje entendo as pretenções de mamãe, mas até uma certa idade qualquer pessoa mal vestida e suja para mim era louca e me fazia atravessar a calçada.

Enfim, cresci e com isso descobri que pessoas "insanas" eram aquelas que possuíam algum distúrbio psicológico.
Creio ser este um assunto bem delicado, mas que desde já deixo claro que não tenho intuito de ofender, desrespeitar ou cometer qualquer tipo de preconceito...
São apenas idéias e pensamentos que coloco no papel.

Até o início da adolescência não sabia ainda claramente quais distúrbios psicológicos seriam estes,
por afeto divino, em minha família não há sequer um caso que justificasse minha curiosidade acima disto.
Quando adolescente não era muito de me comunicar e muito menos de perguntar assuntos delicados às pessoas.
O que sabia era que existiam os loucos que perdiam o controle de si próprios, os que eram controlados por remédios e aqueles que ainda não sabiam que eram.
No fim de tudo isso, me surge uma nova concepção de "doidão"...sempre tinha alguém no colégio que mencionava..."O fulanoo ééé loucãão! fumou 2 baseados na festa da Zezinha..."
No entanto, aprendi que esse tipo de loucura se encaixa em outro departamento.

Ao entrar na faculdade, que por sinal é Biológicas, é Saúde, pude mergulhar nas profundezas da insanidade!
OPA!
Não pensem besteira!
É que descobri a "fino modo" o que seria os distúrbios psicológicos na linguagem fisiológica, patológica e farmacológica.
E que existem milhares deles!
EUREKA!

A vida não é caixinha de surpresas! Ela é um contêiner do tamanho do mundo, o qual se vai abrindo aos poucos, jogando água contra ele com um mísero copo de vidro! Tal como o ditado da água mole em pedra dura...éé...esse mesmo!
Aos pouquinhos se descobre o mundo dentro dele!

Voltando...

Saber de tais distúrbios e nas linguagens mais que favorecidas me agradou bastante...e me desalegrou também.
Agradou porque foi mais uma informação somada a que já se tinha pré-estabelecida...e isso é sempre compensador.
O que me desagrada é que a "loucura" não é só a minha idéia que eu ja tinha pre-estabelecida, juntamente com os conceitos que aprendi.
Me senti "incompletamente sabida"!

Mas sou um pouco suspeita para falar disso, isso porque a patologia e a farmacologia me desagrada demasiadamente, não gosto de doenças, desde uma leve gripe a uma trágica enfermidade.
Terminei meu curso por desafio e forçando-me constantemente a gostar. É belo saber essas coisas e gostar delas, é ajudar a quem está precisando!

Terminando o raciocínio,
Vi o filme, que me mostrou um outro espectro do que seria a loucura...assistindo Donnie Darko também tive uma outra perspectiva.
Tudo se baseia em como a sociedade encara e vê a "loucura".

A sociedade poderia ser eu quando criança. Assim, todos os sujos receberiam um belo banho e não seriam loucos mais! Supimpa!
A questão do internamento é que é digno de análise. Depois de dar uma pesquisada, vi que não existem mais manicômios espalhados pelo mundo. Ainda bem né?

Alguém aí conhece Michael Foucault?
Esse cidadão uma vez escreveu sobre loucura na Idade Média, não li a obra em si, mas as idéias e o tema central já me foi providenciado via google.

Alguém aí se lembra dos leprosos das antigas?Os quais tinham que ficar confinados?
Hoje isso não existe mais também, a questão do confinamento dos mesmos! e esse "não-confinamento" fez jus na Idade Média mesmo.

Pois bem, Foucault disse que a Lepra não foi curada com o estabelecimento do fim do confinamento, o que mudou foi a concepção acima desta patologia.
Falando mais claramente: Perceberam que o confinamento não cura merda nenhuma! Porque tinham uma idéia ultrapassada sobre o assunto.
No entanto, as relações de exclusão social permaneceram...

Então, graças a esse Cidadão pode-se mudar o espectro desse entendimento acima da loucura...é uma das principais idéias da psiquiatria. Não vou discorrer mais sobre isso, porque o que sei se resume a isso e tenho medo de dar informação errada!
Viva Foucault!
todo mundo sabe como se pronuncia Foucault né? FÚCÔ! Maioor BARATO falar!!

O mais legal deste filme e que vale sim destacar é que foi convivendo com outras loucas que a protagonista conseguiu se encontrar com alguém muito especial : ela mesma!
Coisa que o mundo das "pessoas saudáveis" não conseguiu fazer isso com ela!

Outra coisa legal é que ás vezes, quando internados, os loucos fazem do hospital o seu mundo real, e no filme ensina que o mundo das pessoas "loucas" é o mundo lá fora!
Váriaaas analogias com o MÁGICO de OZ, aquele conto infantil! Sensacional!
A história é baseada em fatos reais ainda....melhor ainda! Vejam!

Encerro essa postagem por aqui!

Obrigada meus LOUCOS pela atenção!


"Sei exatamente como é querer morrer, como machuca sorrir, como você tenta se encaixar mas não consegue, como vc se fere por fora tentando matar o q tem por dentro..." 

BOA NOITE!