quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Um dia (quase) normal...

Hoje seria um dia normal, como qualquer um, exceto pelo fato de que acordei um tanto pensativa...

Já havia despertado há um tempo, e a ligação de minha mãe me impulsionou (na marra) a levantar e dar um jeito na vida...

Ainda assim, um dia normal...

As milhares de coisas para resolver, as amadas burocracias da vida como chegar sua vez no caixa do banco, e o senhor bancário lhe dizer que ainda falta "um papelzinho" impedindo o andar da carruagem...

Para qualquer brasileiro, ainda assim, um dia normal...

A mudança para a cidade grande me bloqueou um pouco o contato com as pessoas, me deixando mais próxima ás máquinas, reagentes químicos e responsabilidades.
Essa privação dos conflitos humanos alheios apenas me aproximou dos meus próprios, antes um pouco "esquecidos", confesso.

Já ouvi dizer que enxergar os problemas alheios e não os próprios é errado, em demasia, creio que sim.....todavia, a mim soa como construtivo.

Quando começo a dar ouvidos aos meus enigmas internos fico incrivelmente perdida, prefiro deixar que o tempo ou a rotina me mostre respostas para solucioná-los.

Ultimamente, mais do que nunca, parecia que eu estava "gostando" de me ouvir...haha
Não que isso seja ruim (ou bom), mas estava lidando melhor com tais companhias.
Ás vezes esperar o tempo agir é uma virtude para poucos...

No entanto, hoje eu estava afim de problemas alheios...haha
Alguma inspiração, alguma dúvida, algum sei lá...

Ao entrar em outra agência bancária me deparei com algo realmente extraordinário!!!
Montaram uma queda d'agua no meio do banco, algo como aquelas cascatas renováveis, e me deu uma sensação tão legal com aquele barulho de cachoeira em meio á selva de ternos que fica até difícil ilustrar.

Agora sim, um dia não tão normal...

Há um dia atrás, depois de uma boa notícia que recebi, me falaram que a profissão a qual escolhi foi feita para fazer bem à humanidade...sei disso...teoricamente sei...mas ainda nao tinha visto na prática onde isso se aplicaria a mim e à profissão.
Acho que uma coisa que tenho perdido ultimamente é a visão global...e como explicado anteriormente, isso acontece quando começo a escutar demais os meus proprios conflitos.
Ás vezes bate aquela "visão global fake" só pra se sair bem em alguma discussão, mas profundamente, você está é míope...

Hoje dei uma brecha e tentei enxergar além, fora da caixinha...

E consegui, depois de muito tempo.
Postagem diário não é minha atividade preferida....mas HOJE foi necessário.

E hoje o dia foi (com o perdão da palavra) FODA!


O pensamento é como uma queda d'agua, nasce de um curso mínimo, sofre diversos processos físicos e depois se espalha em um curso maior...

NUBIA MIRANDA VIEIRA





Um comentário:

  1. Interessantes teus posts, escrevo para divulgar o : www.o-cercadinho.blogspot.com Caso queira acompanhar e dar umas risadas,
    será um prazer ter nos visitando lá. O que é o Cercadinho? Segue apresentação para te situares. Em cada relacionamento afetivo, os envolvidos ficam restritos a um espaço, O Cercadinho, onde acontecem as interações. Em algumas fases, está cheio de "queridas", mas em outros, quase vazio. O Cercadinho é o resultado das conquistas amorosas, onde cada um preenche à sua maneira e gosto. Pode ter o critério de cotas e uma de cada: loira, morena, mulata, ruiva e/ou japa. Com faixas etárias e tipos variados. Até monogâmico com apenas uma mulher selecionada. Somos dois homens escrevendo relatos e histórias, sem pretensão literária sobre O Cercadinho. Seco, objetivo e um pouco bagual com sentimentos, assim é Iberê. Apaixonante, cafajeste e trash total, esse o Marcão. Entre no nosso Cercadinho e boa leitura.
    Iberê

    ResponderExcluir